Setor 1

Império da Tijuca faz vaquinha na internet para pagar custos de desfile3 min read

Império da Tijuca em 2017 – Alexandre Macieira/Riotur

Sem dinheiro, tem escola da Série A do Rio de Janeiro pedindo doações em dinheiro.

Isso mesmo: o Império da Tijuca lançou uma campanha e abriu uma vaquinha na web (clique aqui para ver e doar) – conhecida também como crowdfunding – para arrecadar recursos e finalizar o desfile.

Batizada como Paixão Imperial, a campanha foi aberta há dois dias e recebeu apenas 0,05% – não há informações sobre meta. O prazo para doações acaba no dia 9 de fevereiro, justamente a data da apresentação da escola, segunda a desfilar. (Veja a ordem dos desfiles)

“A subvenção que sofreria um corte de 50% não foi paga e o contrato para o Carnaval 2018 ainda não foi assinado. A escola movimenta atualmente barracão e ateliês com a verba recebida pela emissora de TV que detém os direitos de transmissão do desfile, no entanto este valor trata-se de apenas 8% do orçamento total do carnaval da instituição”, lamenta o Império da Tijuca em comunicado divulgado no Facebook.

A escola pretende usar o dinheiro arrecadado para pagamentos de mão de obra e despesas gerais. Há no site da agremiação uma lista de materiais que precisam ser comprados, como cola de sapateiro, chapéu de palha, espuma, penas e plumas, e respectivos fornecedores. Quem quiser pode ir aos estabelecimentos e fazer a doação diretamente.

Leia também:
Crivella: Carnaval não precisa de dinheiro público
Morre Luiz Augusto Duran, ex-presidente do Salgueiro
20 mil crianças podem ficar sem desfilar nas escolas mirins

“A ideia é que o resultado positivo do desfile da escola seja através de uma contribuição de todos os que amam a nossa agremiação. Num momento em o poder público nos dá as costas, mostraremos a força da nossa festa através da nossa arte, no samba no pé dos passistas, no bailado dos nossos três casais de mestre-sala e da porta-bandeira, na beleza plástica dos nossos carnavalescos, no ritmo da nossa Sinfonia Imperial e no amor das baianas e da nossa velha-guarda. O talento dos compositores através do nosso elogiado samba-enredo na voz do nosso intérprete oficial Daniel Silva entoado na voz dos nossos 2.800 componentes. Nosso objetivo é buscar o título e retornar de onde não deveríamos ter saído”, disse o presidente Antônio Marcos Teles.

Em 2018, o Império da Tijuca tentará retornar ao Grupo Especial com o enredo “Olubajé, Um Banquete Para o Rei”.

O contrato de subvenção com a Prefeitura estava previsto para acontecer no fim do ano passado, mas até agora as escolas não receberam a verba. O repasse previsto é da ordem de R$ 6 milhões, para serem divididos entre as 13 agremiações. Pelo ritmo, o dinheiro pode cair na conta das agremiações somente após os desfiles.

Romulo Tesi

Romulo Tesi

Romulo Tesi Jornalista carioca, criado na Penha, residente em São Paulo desde 2009 e pai da Malu. Nasci meses antes do Bumbum Paticumbum Prugurundum imperiano de Aluisio Machado, Beto Sem Braço e Rosa Magalhães, em um dia de Vasco x Flamengo, num hospital das Cinco Bocas de Olaria, pertinho da Rua Bariri e a uma caminhada do Cacique de Ramos, do outro lado da linha do trem. Por aí virei gente. E aqui é o meu, o nosso espaço para falar de samba e Carnaval.

comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Romulo Tesi

Romulo Tesi

Romulo Tesi Jornalista carioca, criado na Penha, residente em São Paulo desde 2009 e pai da Malu. Nasci meses antes do Bumbum Paticumbum Prugurundum imperiano de Aluisio Machado, Beto Sem Braço e Rosa Magalhães, em um dia de Vasco x Flamengo, num hospital das Cinco Bocas de Olaria, pertinho da Rua Bariri e a uma caminhada do Cacique de Ramos, do outro lado da linha do trem. Por aí virei gente. E aqui é o meu, o nosso espaço para falar de samba e Carnaval.